Vi e não recomendo – Séries

22 08 2008

Todo tempo estamos sendo bombardeados com novas séries importadas da TV americana ou de outros países. Não sei se acontece com você, mas muitas vezes tento me virar em 100 pra conseguir acompanhar todas as séries que eu curto. Zapeando canais da TV à cabo, descubro muita coisa legal e muita coisa ruim também. Então nada mais justo que fazer a minha listinha de séries novas (e não tão novas assim) que são pura perda de tempo.

Cashmere Mafia: quatro ambiciosas e poderosas mulheres que são amigas desde o tempo da escola tentam conciliar trabalho e família. Lembrou alguma coisa? Sim, é do mesmo criador de Sex and The City. A diferença? Roteiro fraquíssimo e personagens nada carismáticos.

Heroes: pessoas comuns com super poderes pra salvar o mundo = muitos personagens e trama que não evolui. Chega à terceira temporada enrolando e contando a mesma história idiota.

Smallville: o Super-Homem é, naturalmente, um herói meia boca. Experimente colocá-lo como adolescente e com problemas dignos de Malhação. Uma bomba.

Pussycat Dolls Present: The Search for the Next Doll: o que é Pussycat Dolls? E o que é a falta de noção em fazer um seriado pra escolher a próxima integrante desse grupo?

Everwood: quanto tempo leva para um seriado de velho com problemas com os filhos entediar uma pessoa? 5 minutos. Quanto tempo tem a série? Anos!

Big Shots: se era uma tentativa de fazer um Sex and The City masculino, falhou. A ABC se tocou e cancelou. Num determinado episódio, um personagem confessa aos amigos que pegou um travesti e eles acham graça. Qual é a maior mentira? O cara assumir que ficou com um traveco ou os amigos não tornarem a vida do cara um inferno?

Por Yasmin Medeiros

Anúncios




Interrogatório do Batman

16 08 2008

Quem viu o mais novo filme do Batman, The Dark Knight, percebeu que o herói sofre de alguns problemas pra se comunicar. Qual será o motivo? Nesse vídeo engraçadíssimo, o Coringa tenta a todo custo decifrar as palavras do homem-morcego.

Por Yasmin Medeiros





Super decadência

15 05 2008

Quando era pequena, sempre perguntava à minha mãe por que os personagens de desenhos não cresciam. Aquilo me intrigava. Como em anos o Pernalonga era o mesmo? O Pica-Pau também. Sem contar o Chaves, que continuava na mesma sala de aula e com o mesmo professor durante anos. Será que ele nunca era aprovado? Que burrico, dá zero pra ele. O Baby, da Família Dinossauro, nunca ia deixar de ser um bebê? É claro que minha mãe dizia que se eles crescessem, a magia ia acabar. Então ta, né?

Cresci e parei de ver desenhos com tanta freqüência, mas continuo intrigada. Dessa vez a pergunta é outra: como os personagens ficariam se fossem desenhados em sua terceira idade? Fuçando blogs, descobri o trabalho de Donald Soffritti, um italiano que desenha personagens famosos em sua pior forma. Elektra tricotando, Homem-Aranha tomando soro, Super-Homem barrigudo. Ele não poupou nem a Mulher-Maravilha que virou uma barangona. Afinal, os anos passam pra super-heróis também não é mesmo?

Por Yasmin Medeiros